O impacto do uso de drogas sobre o risco de suicídio

O suicídio é responsável por 800.000 mortes anualmente no mundo, o que o coloca entre as principais causas de morte. Na faixa etária de 15 a 29 anos, ele é a segunda principal causa de morte. Diante dessa gravidade, a Organização Mundial de Saúde determinou como um imperativo global reduzir as taxas de suicídio em 10% até 2020. A maior parte dos países está se aproximando do cumprimento dessa meta, mas o Brasil parece estar na contramão do restante do mundo. Tanto em adolescentes quanto na população geral as taxas de suicídio estão aumentando.

O Brasil está entre os dez países do mundo com maior número absoluto de suicídios e a taxa de suicídio na população geral aumentou 9%, enquanto a taxa de suicídio entre adolescentes de 10 a 19 anos aumentou 13% entre 2006 e 2015. Esse aumento é ainda mais significativo quando consideramos que do ponto de vista de saúde pública, mortes por suicídio são passíveis de prevenção.

Estudos realizados em vários países e culturas diferentes demonstraram que entre 90 a 98% das pessoas que morreram por suicídio padeciam de algum transtorno mental grave como, depressão, transtorno bipolar, transtornos de personalidade, esquizofrenia e dependência de álcool e outras drogas. Portanto, uma compreensão possível sobre suicídio é que se trata de um desfecho grave no curso de um transtorno mental.

Vários fatores podem ser abordados como estratégias em um programa de prevenção de suicídio. Por exemplo, em relação à sociedade e ao sistema de saúde, é possível aumentar o acesso da população a serviços de saúde mental. garantindo que as pessoas em sofrimento mental possam receber o tratamento necessário.

Ao mesmo tempo, é possível reduzir a disponibilidade de meios letais para suicídio. como armas de fogo e pesticidas, através de legislações específicas. Ações comunitárias que reduzem discriminação, campanhas e políticas para redução do uso de álcool e outras drogas também são medidas efetivas na redução das taxas de suicídio.

Tanto a dependência quanto o abuso de álcool são diagnósticos frequentemente encontrados em pessoas que cometeram suicídio, especialmente jovens. Estima-se que entre 40 a 70% das pessoas com dependência de álcool ou outras drogas terão uma tentativa de suicídio ao longo da vida, e que a presença do diagnóstico de dependência aumenta de 10 a 15 vezes o risco de morte por suicídio.

Estima-se que entre 40 a 70% das pessoas com dependência de álcool ou outras drogas terão uma tentativa de suicídio ao longo de sua vida.

Também é estimado que a presença do diagnóstico de dependência aumenta de 10 a 15 vezes o risco de morte por suicídio.

Fatores de risco associados a suicídio em pessoas com dependência são:

  • início precoce do uso abusivo de álcool ou outras drogas;
  • história prolongada de consumo;
  • maior gravidade da dependência;
  • humor deprimido;
  • saúde física debilitada;
  • baixa performance no trabalho;
  • história familiar de abuso de substâncias;
  • conflito ou perda recente de um importante relacionamento interpessoal.

Dessa forma, assim como a prevenção de suicídio passa por ações de redução do uso de álcool e outras drogas, o cuidado adequado do abuso de substâncias exige ações de prevenção de suicídio.

Fonte: RevistAE – edição fevereiro/2020 – Edição 245 .. da Federação de Amor-Exigente (FEAE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *