Palavra da Dona Mara: 1º Princípio do AE

Os desafios que enfrentamos estão enraizados na sociedade em que vivemos. Os problemas da família têm raízes na estruturação atual da sociedade. Esse é o paralelo inicial do 1º Princípio Básico do Amor-Exigente, que se inicia juntamente com esse novo ciclo de 12 meses que temos para viver pela frente. “Há vinte anos, quando trabalhávamos este princípio, víamos uma cultura de valorização de anti-heróis, drogas, corrupção, violência”. “Víamos a valorização do ter em detrimento do ser, víamos tanta confusão, tantos enganos”, diz Dona Mara Silvia Carvalho de Menezes, cofundadora do AE e membro do conselho deliberativo da FEAE (Federação de Amor-Exigente).

De lá para cá, segundo ela, nada mudou, nada ficou melhor. “Ao contrário, essas coisas pioraram, tomaram feição de pandemia. Mais droga, mais corrupção, mais violência e, mais do que ter, agora é importante também “aparentar” ter”. “Refletindo sobre isso, constatamos que os problemas que atingiram as últimas décadas do século XX continuam presentes e agravados, em vez de caminhar para uma possível solução”, explica Dona Mara.

E depois que entra em recuperação, o dependente químico deixa de ser o problema e busca ser a solução. Esse é um jargão básico do processo, que deve ser colocado em prática. “Sabemos o que é bom para nós, mas não vemos como atingir o que queremos num mundo violento, agressivo, materialista, de falas aparências e sem modelos que nos inspirem”. “Assistimos ainda à desunião nas famílias, vemos leis ignoradas ou descumpridas, o sexo vinculado apenas ao prazer e desligado do respeito, da admiração e do verdadeiro amor”, diz Dona Mara, que além disso, ainda cita que assistimos à desvalorização da vida e à desvalorização de Deus do cotidiano da maioria das pessoas.

E de fato, Dona Mara tem razão. Todos esses comportamentos do ambiente humano ajudam a formar a personalidade do jovem de hoje, que acaba vivendo o excesso de permissividade, de competição, de disputa, de consumismo, e convive com a insegurança e o medo, tudo que, para os princípios espirituais da recuperação, e contraditório. “Os comportamentos inadequados que estão nos prejudicando devem ser mudados. Basta começar por coisas bem fáceis e ir aumentando, devagar, o grau da dificuldade que teremos de superar a fim de nos corrigir”, ela orienta. Vale lembrar que isso vale para todas as áreas da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *