Exigência, Disciplina e Sobriedade

Exigência e Disciplina, alicerces do 11º Princípio Básico do Amor-Exigente, são fundamentais para o processo de recuperação de um dependente químico ser bem sucedido. Não há retrocesso e nem caminho para uma recaída, que em alguns casos pode impulsionar o dependente para a frente, mas o melhor mesmo é não arriscar. A recuperação exige uma série de mudanças físicas, mentais e espirituais para ser trabalhada dia após dia pelo resto da vida.

Quem explica é Ricardo Gaspar Zavarello, voluntário do Amor-Exigente, em Rio Claro, interior de São Paulo em um relato na coluna “Sobriedade”, edição de novembro da “RevistAE”. “Exigência e disciplina são palavras fortes que facilmente colocamos para os outros, mas raramente seguimos essas regras para a nossa vida. É fácil identificar as falhas do outro, é fácil achar solução para a vida do outro. Mas o AE é uma proposta de mudança pessoal”.

E o ápice da doença da adicção, causada não só pelo descontrole de uso de drogas, um de seus sintomas mais aparentes, exige justamente isso: mudança pessoal. Ricardo enfatiza que, por isso, em nossa oração falamos toda semana “concedei-me Senhor a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar”.

Essas coisas que não posso modificar, segundo Ricardo, são exatamente os outros, mas ainda assim insistimos em achar que somos capazes de mudar o outro. “Em 24 anos de AE, aprendi que somos capazes de ajudar o outro a pensar, mas a mudança acontece obrigatoriamente por conta do desejo intrínseco de cada um”. “Pensando nisso, gostaria de sugerir que façamos uma verdadeira reflexão interna, pessoal e honesta de quais exigências e disciplinas são necessárias trabalhar nas nossas vidas”, diz o voluntário.

Quando o dependente químico para de usar drogas, acontece uma espécie de combustão de pensamentos, emoções e sentimentos. “Somos convidados pelo programa do AE a olhar para nosso comportamento o tempo todo e isso realmente deve fazer a diferença em nossas vidas, pois através desse mergulho a uma reflexão interior é que descobrimos onde e o que precisa ser trabalhado e mudado dentro de nós”, afirma o voluntário.

Colocar exigência e disciplina em nossas vidas, fazer avaliações sobre nosso comportamento, identificar as necessidades de mudança e trabalhar essas mudanças em nós, segundo Ricardo, é algo tão especial e poderoso “que eu poderia até mesmo chamar de mudança transcendental, ou seja, que transcende a questão humana nos deixando mais próximos ao nosso poder superior”.

Dores – Ricardo diz que aprendeu a tirar ensinamentos de suas dores. “Não gosto de sofrer, mas sei que nas minhas maiores dificuldades foi onde eu mais me aproximei do meu poder superior e isso foi um presente em minha vida”, ele reconhece. “Estou tentando fazer da exigência e disciplina uma regra em minha vida, pois isso me deixa mais saudável, mais humano e principalmente mais próximo do meu poder superior”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.