“Resumão”: 11º Princípio

O “Resumão” desta 1ª semana do 11º Princípio Básico do AE vem nos lembrar que a aplicação desse princípio é uma espécie e exame de consciência na vida diária dos integrantes do nosso programa. “Exigência na disciplina com o objetivo de ordenar, organizar a nossa vida e a nossa família”.

Para isso, orienta que precisamos analisar os comportamentos pessoais para não cair nos comportamentos e atitudes recorrentes na cultura atual como desinteresse, apatia e irresponsabilidade. A reflexão aponta o que devemos diminuir no cotidiano depois que conhecemos do 11º princípio. Confira:
– Indisciplina
– Desordem
– Negligência
– Descontrole
– Imaturidade
– Condescendência
– Impulsividade e Insubordinação


Além disso, orienta aos comportamentos que se deve aumentar. Confira:
– Disciplina
– Organização
– Valores Éticos
– Autocontrole
– Maturidade
-Seriedade e Vontade

“Nós o amamos, mas não aceitamos o que você está fazendo de errado”

O pensamento acima constitui a pedra angular do Amor-Exigente. De acordo com a nossa literatura, estabelecer disciplina é estabelecer metas e impor limites, inclusive e principalmente nas pequenas coisas. “O cotidiano da vida é produto do somatório de pequenas coisas comece sempre por elas”.

Ao estabelecer normas verifique primeiro quais os recursos para que elas possam ser cumpridas. Estabeleça também quais as consequências pelo não cumprimento delas. Tenha sempre presente que as exigências não sejam insolúveis, desleais, injustas, importunas e indignas. Verifique se você está mesmo determinado a cumprir e fazer cumprir as metas e os limites que, livremente, está estabelecendo.

Uma pessoa, por exemplo, não é obrigada a mar outra, mas tem de respeitá-la e, consequentemente, sua família. E diante das metas e limites ela terá de fazer uma escolha. “É ela quem faz a escolha. Diante da liberdade do homem não fazemos nada a não ser mostrar caminhos e rezar”.

Vamos exigir e disciplinar, mas sem o aspecto da punição. “Somente pelo confronto direto, corajoso e determinado é que conseguimos libertar o familiar das drogas. Num trabalho lúdico, perseverante, sem acomodação vamos disciplinar para levar à libertação”.
Para Reflexão:

É bom lembrar sempre que são componentes essenciais da felicidade: Sentir-se pertencido, valorizado, amado e autônomo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.