Palavra da Dona Mara

É preciso viver a cooperação se queremos ensinar cooperação. Parte integrante do processo de recuperação, fazer pelo outro abnegadamente ajuda o dependente químico enxergar e sair da obsessão e do egocentrismo, característicos da doença. Além disso, devem ser amplamente estimulados e facilitados pela família toda e pelo grupo de apoio os três pontos chave da recuperação dos jovens nas fazendas, comunidades terapêuticas ou clínicas de reabilitação.

De acordo com o livro “O que é Amor-Exigente”, escrito por Dona Mara Silvia Carvalho de Menezes, cofundadora do AE e membro do conselho deliberativo da FEAE (Federação de Amor-Exigente), são eles:

– terapia de apoio (reuniões em grupo)

– terapia ocupacional (trabalho)

– oração (espiritualidade)

Dona Mara explica que a terapia de apoio, ou seja, o grupo como já foi dito é importante por pais e filhos precisarem de um grupo de apoio para cultivar perseverantemente uma intensa comunhão com a justiça, a verdade, a honra e a dignidade da família. “Já a terapia ocupacional (o trabalho) mesmo que não se consiga de imediato um emprego para o jovem, deve-se responsabilizá-lo por funções e trabalhos na família, no grupo e na comunidade”, diz ela. “O emprego não é o mais importante; o trabalho, a ocupação, o sentir-se útil é o que se almeja”.

Depois, completa Dona Mara, é necessário aproveitar o embalo do período de tratamento e continuar com toda a disciplina de vida já estabelecida. “No terceiro item – a oração (a espiritualidade), devemos esclarecer que não está falando de religião. A espiritualidade é muito mais abrangente. É uma crença feita de energia, fé e esperança que nos torna capazes de suportar grandes danos e prosseguir no caminho certo. A espiritualidade traz Deus para nossa vida e nos torna mais fortes, realizados e felizes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *